31 março 2008

No alto, na esquina


Vamos dar um giro no tempo: 31 de março de 2007.
Onde estava eu?
No Bar Vila Teodoro, no niver de uma amiga minha (aliás, foi o fim de semana dos aniversários!).

Rolou chorinho do bom!
Tentei me informar, parece que o bar está aberto ainda -- e com música de qualidade.
É pequeno, mas aconchegante e bem localizado.

Rua Teodoro Sampaio, 1.229 (quase esquina com a avenida Henrique Schaumann)
Pinheiros -- São Paulo
Tel.: (11) 3083-6465

30 março 2008

Azul de Zanzibar


O azul de Jezebel
No céu de Calcutá
Feliz constelação
Reluz no corpo dela
-- Ai tricolor colar!
Az de Maracatu
No azul de Zanzibar
Ali meu coração
Zumbiu no gozo dela
Ai, mina, aperta a minha mão
Alah, meu only you
No azul da estrela
Ai, mina, aperta a minha mão
Alah, meu
only you
No azul da estrela
Aliás, bazar da coisa azul
Meu only you
É muito mais
Que o azul de Zanzibar
Paracuru
O azul da estrela!
O azul da estrela!
("Zanzibar" -- Cor do Som / foto: Francesca Cambi)

29 março 2008

Central do Brasil: 150 anos


Central do Brasil não é só nome de filme nacional, não! (risos)
A Central do Brasil é a estação mais famosa do país, e faz hoje 150 anos!
Ela foi inaugurada em 29 de março de 1858.

De acordo com reportagem do JB Online, do ano passado, quando da ocasião de seus 149 anos, “A Central do Brasil ocupou a área onde ficava a Igreja de Santana, que foi demolida para dar lugar ao primeiro prédio da estação.No início do século 20, um incêndio destruiu parte das instalações.O prédio que existe hoje foi inaugurado em 1943 e tem 32 andares, incluindo os cinco andares ocupados pelo relógio que, junto com o Cristo Redentor, é um dos exemplos mais significativos de Art Déco, no Brasil.”

Lindo, não?
Vá lá visitá-la, na Av. Presidente Vargas, no Centro do Rio.
As escadarias de mármore, no salão anexo, são espetaculares.

(imagem "capt[ur]ada" do blog Logística e Transporte)

27 março 2008

Okult

Segundo definição dada por Emanuel Júnior em matéria para o site Novo Metal publicada em 8/12/06, "O Orkut é um sítio de relacionamento virtual, onde as pessoas procuram se comunicar com as outras e criar novas amizades".


Mas o danado já nasceu predestinado à encrenca: desde bisbilhoteiros que xeretam sua vida, passando por namoradas ciumentas, até ex vingativas.

O Orkut tornou-se uma vitrine!
E não me venham com esse papo de "não tenho nada a esconder...".
Independentemente disso, ninguém gosta de ter sua privacidade invadida.
Não raro, usuários deste site acabam cancelando suas contas, retornando depois em outra!

Além de poderosa ferramenta comunicacional e outros atributos que lhe foram indexados (como os que citei acima), o Orkut serve também para esconder a "não assumida" homossexualidade de alguns usuários, protegidos por perfis fakes que vetam olhos curiosos, podendo inclusive valer como escudo às ditas "(ex)namoradas-encrenca" (contanto que você não se exponha demais, é claro) -- mais ainda agora, com as novas ferramentas que permitem bloquear acesso a ler e/ou deixar recados e visualizar fotos do álbum.

Ou seja, em casos como esses e outros mais, o melhor mesmo é lançar mão deste "neologologismo" que acabei de criar em uma conversa: OKULT! (hehehehe).

26 março 2008

Out of bounds


Vamos aos fatos: lembram aquele problema que relatei mês passado sobre meu computador?
Pois é... aconteceu DE NOVO, OUTRA VEZ e NOVAMENTE ao longo desses dois meses!
Na segunda (das quatro -- eu disse QUATRO) vez que ocorreu, foi terrível: perdi um trabalho pronto pra entregar!
Conseqüências? As piores possíveis e imagináveis.

Quanto a isso...

Who's to blame when situations degenerate?
Disgusting things you'd never anticipate
(...)
People get sick, they play the wrong game
You know, it can ruin your name!

Agora PARECE que voltamos ao normal, depois de HD novo (pifou!), fonte nova (queimou!) e um slot de memória de 1 Giga, que comprarei na semana que vem.
Em suma: I'm TOTALLY fucked up!
Foram dois meses sem poder trabalhar direito, pois a cada semana o micro inventava um surto diferente.
MESES DE TRABALHO me aguardam para eu me recuperar do prejuízo ($$$$$) -- estão ouvindo aquele barulhinho de máquina registradora? Pois é...
Olhem... eu já tinha ouvido falar de "inferno astral", mas "inferno digital" não.
("Party out of bounds" – B52’s)

25 março 2008

Sobe ladeira, desce ladeira... eis a 25!


A Rua 25 de Março (sim... esse cenário dantesco que você vê aí em cima) completou 114 anos!
Pensa só: em 1894 quando foi inaugurada não devia haver um décimo desse povo todo na rua.
Amo Sampa e dela muito me orgulho -- não escondo isso de ninguém.
Mas evito AO MÁXIMO ir à 25 de Março! Acho aquilo claustofóbico.
Basicamente, posso afirmar que "passo" PERTO dela somente quando vou ao Mercado Municipal -- é o mais perto que me aproximo.
Tem gente demais ali... afe!
E a Ladeira Porto Geral em ocasião de alguma data festiva próxima?
Carnaval... Natal... Dia das Mães... Você olha pra ladeira e só vê gente.
Espero honestamente que essa visão se dê LÁ DE CIMA, é claro.
São cabeças, caixas, sacolas -- e você ainda tem a feliz possibilidade de, simplesmente, diante de tal visão assustadora, NÃO DESCER, dar meia-volta e ir tomar café no Girondino.
Eu, por exemplo, sempre tento chegar pela Ladeira Porto Geral (ainda mais quando morava na Bela Vista; descia a pé de lá, gostosamente curtindo Sampa...) -- isso me dá uma idéia do que me espera lá embaixo. Aproveito e passeio pela Praça Patriarca, Rua da Quitanda, Álvares Penteado, Largo do Café, XV de Novembro... Quando não, seguia pela Libero Badaró, Largo de S. Bento, e descia a Ladeira da Constituição.
Ah... suspiros eternos de saudades de Sampa. Mesmo desse inferno chamado 25 de Março! :)
obs.: conselho? NUNCA desça pela General Carneiro, aquela rua ao lado do Pátio do Colégio. Aquilo sim: é o mais perto que se chega do inferno (digamos... aquilo é o purgatório, com barraquinhas de um lado, lojas do outro e camelôs com os produtos espalhados sobre lonas plásticas no MEIO da rua. Tem um comando da PM ali... mas é como se não tivesse. A sensação de insegurança (e trate de segurar BEM sua bolsa junto ao corpo) é total! Você não sabe se tenta enxergar o final daquele povaréu, se segura a carteira no bolso, se desvia dos produtos do camelô (ai, que você quase pisou em cima de uma faca Guinzo!). Horror. Horror. Horror. (risos)
(imagem "capt[ur]ada" do site da Anba)

24 março 2008

Café na Pinacoteca


Depois de sairmos do bar, fomos à Pinacoteca.
Enaltecê-la aqui é "chover no molhado" -- é linda e há vários sites que falam sobre ela e/ou trazem fotos magníficas.
Além do imperdível passeio (é linda a Pinacoteca), ressalto que tão interessante quanto o conteúdo cultural em exposição DENTRO da Pinacoteca também vale a pena curtir o lado de FORA dela (há obras também na área externa, onde, na verdade, já se estende ao Parque da Luz -- belo "quintal", não?!).
Sugiro ainda que se vá ao Café da Pinacoteca, com deliciosas mesinhas do lado de fora.
Charmosinho!
Café da Pinacoteca
Praça da Luz, 2
Luz -- São Paulo
Teel.: (11) 3326-1131

Leo, the leo


A última vez que coloquei os pés no Bar Léo foi há um ano, para apresentá-lo a Cris.
Como poderia eu mudar-me de Sampa sem que a levasse ao chopp mais famoso da cidade?
No way!
Então, lá fomos nós ao Bar Léo.
Estava LOTADO como sempre, de modo que ficamos na rua mesmo, em mesinhas longas que eles colocam nas calçadas (forget: não cabe todo mundo dentro daquele bar; a esquina lota!).
Conselho: vá num dia mais calmo, e não sábado (que é um terror, confesso) nem no domingo (porque não abrem!).
Quanto ao sábado, o desconforto não paga a delícia do chopp, por mais cremoso e gelado que esteja, honey!
Assim, escolha um dia da semana, entre e sente-se.
Sugiro para os canapés as pastas Rococó (pasta de gorgonzola e copa) e Blumenau (lingüiça defumada moída).
Não se preocupe com o chopp. Eles NUNCA deixam seu copo esvaziar (hehehe).
Tá esperando o quê, criatura?!
Bar Léo
Rua Aurora, 100
Santa Ifigênia -- São Paulo
Tel.: (11) 3221-0247

(imagem "capt[ur]ada" do blog Marcos RS)

20 março 2008

Bodas de prata televisiva


Quem me conhece sabe que não curto televisão.
Mas taí um programinha que eu gosto (gostava?) de ver: VideoShow, que completou 25 anos no ar.
Quando estreou, em 20/03/1983, não era apresentado por Miguel Falabella, mas este foi o apresentador do programa que permaneceu por mais tempo (quase 15 anos!).
Gostei da crítica feita no blog Memória da TV, dizendo que "infelizmente a idéia principal do programa - a de resgatar a memória da televisão brasileira - se perdeu com o passar dos anos, e hoje, o programa serve mais como uma grande vitrine para vender os produtos atuais da própria emissora".
Verdade! O programa perdeu o rumo.
E aquele "videogame", gente? O que que é aquilo?!
Coisas da Vênus Platinada...

17 março 2008

De um extremo ao outro


Estava eu em 17 de março do ano passado (2007), de cara pra cima na noite de São Paulo.
Encontrei umas amigas no Bar du Bocage e de lá decidíamos pra onde iríamos afinal.
-- Eu queria conhecer o Bar da Dida, que é aqui pertinho.
Dei a letra, elas acataram.
Boa!
Só que uma delas estava afim mesmo é de bagunçar. E, como o bar estava cheio (é uma gracinha; pena que aproveitei tão pouco...), lançou mão desse argumento para sair de lá em busca de "outra coisa".
A "outra coisa" já estava em mente e lá fomos nós subindo a Consolação rumo ao Centro, tendo ido "cair" num buraco chamado A Gruta.
Salve-se quem puder!
Olha... não farei comentário algum sobre aquele lugar.
A única coisa que posso dizer é que nunca ri TANTO numa noite só!
Mas, claro, a indicação que fica aqui é pro:
Bar da Dida
Rua Melo Alves, 98
Jardim Paulista -- São Paulo
Tel.: (11) 3088-7177

13 março 2008

Eles novamente!



Em dezembro de 2006 (olha como eu sou avant-gard! – risos), eu coloquei aqui um post sobre Mariana Aydar, no qual comento que ela havia gravado Deixa o Verão, de Rodrigo Amarante, do Los Hermanos.
Agora, foi a vez de Fernanda Porto gravar Samba a Dois, de Marcelo Camelo, do mesmíssimo Los Hermanos.
Dá licença: os caras são bons, hein!?
E curiosamente, ambas as músicas gravadas por essas cantoras são do mesmo CD deles: Ventura.
Vale a pena ouvi-lo INTEIRO. Então, vai lá: clique aqui neste link da Rádio UOL e curta MUITO!
E, em homenagem a Los Hermanos (sem querer desmerecer Fernanda Porto, é claro, cujo Sambassim adoro), segue:

Quem se atreve a me dizer
do que é feito o samba?
Quem se atreve a me dizer?
Quem se atreve a me dizer
do que é feito o samba?
Quem se atreve a me dizer?
Não, eu não sambo mais em vão
O meu samba tem cordão
O meu bloco tem sem ter e ainda assim
Sambo bem a dois por mim
Bambo e só, mas sambo, sim
Sambo por gostar de alguém, gostar de...
Me lava a alma, me leva embora
Deixa haver samba no peito de quem...
Se atreve a me dizer
Do que é feito o samba.
Quem se atreve a me dizer?
Quem se atreve a me dizer
do que é feito o samba?
Quem se atreve a me dizer?
Quem me ensinou a te dizer
"Vem que passa o teu sofrer"
Foi mais um que deu as mãos entre nós dois
Eu entendo o seu depois
Não me entenda aqui por mal
Mas pro samba foi vital falar em...
Me laça a alma, me leva agora
Já que um bom samba não tem lugar, nem....
Se atreva a me dizer
Do que é feito o samba.
Nem se atreva a me dizer!
Nem se atreva a me dizer
Do que é feito o samba.
Nem se atreva a me dizer!

(imagem "capt[ur]ada" do site Veja São Paulo)

07 março 2008

Bicentenário II -- Rio de Janeiro


Hoje faz 200 anos que a real família portuguesa chegou ao Rio de Janeiro, a "nova capital do império".
As comemorações pipocam pela cidade -- pelo que vejo, ao longo de todo este mês.
Adoro História, mas não vou participar dessa patacoada.
Fica aqui outro registro, só pra não dizer que passei ao largo do fato.

05 março 2008

Enfim, saiu o outro guia!


Vocês se lembram quando comentei aqui, no post Guia x Guia x Guia, quando da ocasião do lançamento do Guia GLS São Paulo, que o autor do mesmo tipo de guia, no Rio, estava encontrando problemas para imprimi-lo?


Pois "seus problemas acabaram"! (risos).


Sim... o guia saiu! Chama-se Guia Gay Rio Diferente, da editora Aeroplano.


Ufa! E que venham os cariocas!
Agora não dá pra você dizer que "não sabe onde ir" no Rio, né, menina?!
Consulte aí antes de vir, ué!

01 março 2008

Oba! Temaki!



Ontem fomos a uma “temakeria” (pra quem não sabe, é um tipo de bar/fast-food de comida japonesa especializado em temakis – cones enrolados em algas), em Botafogo.
Na verdade, trata-se de um misto de temakeria e kebaberia (novamente, pra quem não sabe, é também um tipo de fast-food de comida árabe especializado em kebabs).

Para quem nunca comeu, o kebab é feito com pedaços de carne passados numa chapa quente servido com algum vegetal, envoltos num pão semelhante ao pão sírio que é dobrado e levado a uma prensa quente que o deixa quente e crocante” – explicação de Claudia, do blog Food Comfort.

Bom... voltando ao lugar: uma delicinha! Bem descontraído.
E o rapaz que nos serviu, Carlos, uma gracinha!
Escolhemos um temaki de kani kama com shitake marinado. Hum.... tava bom!!!
Ah! E lá o chopp é Leviana! (já falei deste chopp aqui no blog, no post Leviana não é devasa).

Então, se está afim de um lugar gostosinho, pra tomar um chopp e comer uns petiscos pra lá de saudáveis? Vá à Cone Lounge!
A casa é nova... Então, não tenho endereço completo ainda:

Cone Lounge
Rua Praia de Botafogo, 340 – loja K
Botafogo -- Rio de Janeiro

Obs.: não vá confundir com o Maksuda, um “restaurante” japonês, que fica bem em frente. Bom... já é uma dica: se achar o Maksuda, que fica no n. 5, olhe pro outro lado da rua; você verá um deck com mesinhas ao ar livre e mais algumas internas, decoração mais descolada e tal...