31 dezembro 2008

Bye Rio... Tchau 2008


Último dia do ano!
Últimas horas de 2008!
E ainda estou aqui colocando minha última postagem! (hehehe)
Quero agradecer a todas (e todos) que visitaram este blog em 2008 e espero vê-los em 2009.
Aproveito pra me despedir dessa Cidade Maravilhosa que me acolheu.
Vou sentir saudades!
Beijos a todos vocês.
Vejo-os em 2009.
Direto da matriz!
Foto tirada em 2007 no Forte de Copacabana, onde comemorávamos 10 meses.

30 dezembro 2008

Do cosmo e de despedidas


Cá estou. Um pé lá outro cá.
Entre o amor e a paixão.
Já decla[m/r]ei tantas vezes meu amor por São Paulo que resta pouco a dizer...
Mas sentirei saudades das paisagens do Rio.
Rio é amor (aquela coisa calma e gostosa, mas da qual se abre mão se for necessário -- ao menos é assim minha concepção de amor: "o amor é bom, não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece"... o amor não é egoísta).
Sampa é paixão
. Sampaixão. Vício. Aquilo de que não se consegue distanciar. Aquilo que não se pode viver sem...
Estou no Rio. Vim me despedir. Ver os fogos na Praia de Copacabana, a três quadras de casa.
Mas diz a verdade: olha pr'essa foto da Sé; já viu catedral mais linda?
E essa cidade, esse mar de luzes piscando, indicando uma constelação de casas, apartamentos, construções, e estrelas -- milhares! -- que habitam cada uma delas, cada qual com sua história, vários universos em um só "cosmo[pole]".
São Paulo metrópole.
São Paulo megalópole.
São Paulo megametrópole.
Desisti de tentar explicar o que é isso entre eu e essa cidade...

29 dezembro 2008

Artists of illusion -- Masters



Faz tempo que estou pra compartilhar com vocês essas "viagens visuais" que alguns desses artistas nos proporcionam.
Não, não: a vida não é só balada lés, não! A vida é muito mais que isso. E artes plásticas é algo que me encanta, me toca, me prende, me emociona profundamente.
Dispendo um bom quarto de hora a admirar algumas obras...
As abaixo destacadas, de Jacek Yerka (polonês) e Rob Gonsalves (canadense), são meros exemplos de uma totalidade (refiro ao conjunto da obra) de indiscritível fascínio.
Permita-se gastar alguns minutos e digite o nome desses artista no Google -- o oráculo do século XXI. Dado o resultado, clique em Imagens e pasme-se do que irá encontrar por lá.
Rob Gonsalves é mestre em nos confundir -- quando achamos que é uma coisa, é ao mesmo tempo outras e várias.
Jacek Yerka é mestre em nos encantar -- seus cenários são tão absurdos que não há como nos questionar sobre esses lindos mundos (im)possíveis.
Para mim, que curto Arcimboldo, Magritte, Dali e alguma coisa de Escher (Three Worlds tem uma beleza singela que me encanta!), fica fácil “se deslumbrar” com esses caras.
"Viaje na viagem" deles e delicie-se você também!


Imagem: Day and Night -- Escher

Artists of illusion -- II


Nome: Jacek Yerka (1952 - )
Origem: Polônia
Outro "artist of illusion", mais "viajante" ainda...

Artists of illusion -- I


Nome:
Rob Gonsalves (1959 - )
Origem: Canadá
Observe os detalhes... o cara é simplesmente magnífico.

26 dezembro 2008

Oh, my God -- Festas de meninas!

São Paulo, diferentemente das outras capitais do país, tem festa LÉS pra dar, vender e emprestar!
Outras cidades têm suas festas locais de meninas (legal!), mas nada com tanta variedade quanto Sampa, que já anda "exportando" festas (veja abaixo, no P.S.).
Difícil também é, mesmo nessas festas locais, que elas tenham esse profile das "festas de meninas" de Sampa, que se enquadra BEM à variada "lebosfera" paulistana.
Já tratei de algumas delas em outra ocasião (clique aqui para ler a postagem "Ser bolacha em São Paulo"), mas o que me traz aqui, com essa cara de espanto que, na verdade, se traduz em alegria pura, é divulgar o Projeto Sapataria -- e saber a quantas ele anda!
"O Projeto Sapataria não é apenas uma festa para meninas, mas um espaço de exposição da cultura dyke que a cada dia mostra mais a cara no cenário urbano contemporâneo" -- palavra das próprias organizadoras.
E eu, SampaVelox, uma admiradora assumida da dyke culture, não posso deixar de aplaudir essa, né?
Assim, em consonância com a postagem anterior (X-Dyke), deixo abaixo o site do projeto , esclareço que a última festa de que tive notícias foi em setembro (Cabaret da Sapataria) e aviso que estarei lá (bem lá, muito lá) na próxima edição pra conferir isso de perto!

P.S.
1) Me parece que a festa TRACKinAS, citada na postagem de 2007, não rola mais.
Ficou triste? Achou que estamos em déficit? Que nada, boba! Já anda rolando outra (eita! que essa sapataiada de São Paulo tem um fogo! ô mulherada pra gostar de uma festa!) -- é a Las Fufas, cuja última edição, pra fechar o ano, foi no primeiro sábado deste mês. Quer saber mais? http://lasfufas.blogspot.com/
2) Aproveite que você está zapeando pela Internet e leia a entrevista das meninas do Projeto Sapataria na revista A Capa:
3) Vale lembrar que a Tête a Tête andou rodando o Brasil (Santos, Salvador, Belo Horizonte...) e que o Chá com Bolachas continua, é claro, "de pé", AAK!

23 dezembro 2008

X-Dyke


Hum... vejamos: com que finalidade eu coloquei essa foto aí, hein?!
1) Porque essa ruiva sexy foi fotografada por Terry Richardson (hehehe).
2) Porque é uma ruiva sexy (o que tem tudo a ver com o que vou falar neste post).
3) Porque é ruiva (ô fraqueza essa minha!).
Bem... gostem vocês ou não de ruivas, o que quero é que ela sirva de inspiração para eu apresentar a vocês, antes tarde do que nunca, a melhor escritora de contos eróticos lésbicos que eu já li: X-Dyke!
Por muito tempo (desde 2005, creio) eu acompanhei AS AVENTURAS DE JAY, e posso dizer que são... hã... digamos... extasiantes (dá um calor ler aquilo! -- risos).
Se você preferir, pode também se deliciar com os CONTOS DA DIVA -- outra linha, mas igualmente bons.
Como é que eu pude ter guardado os contos de X-Dyke só pra mim esse tempo todo?
Imperdoável isso!
Mas, tudo bem: estou me redimindo agora! (hehehe).
Então, vá lá.
Espero que você esteja sozinha em casa ou ao menos em seu quarto (para poder "se compenetrar" melhor na leitura).
Vista uma roupa confortável, sente-se na frente do computador e deixe a imaginação correr enquanto passa os olhos, linha a linha, nos deliciosamente erotizados textos de X-Dyke.
Aventuras de Jay
(ilustradas com um coturno):
Contos da Diva
(ilustrados com um salto alto):
Veja onde você "se encontra" -- ou onde você "se perde" --, e leia.
Eu reconheço: pra MIM, as Aventuras de Jay são tudo de bom!
Em tempo: claro, há o blog da X-Dyke também!

22 dezembro 2008

¿Por qué no te callas?


Às vezes, eu fico indignada com algumas posturas dos representantes da Igreja Católica.
Com todo o respeito que devo a eles -- e tenho MESMO esse respeito (não vou discutir isso aqui) --, pergunto-me se eles acham que somos imbecis, burros, idiotas, desmemoriados, mal informados, alienados, tontos, tolos ou coisa que o valha!
Senão, vejamos: num daqueles clássicos rompantes de sandice aos quais a Igreja e seus representantes se lançam quando se vêem a ponto de perder a guerra (lembremo-nos das Cruzadas, da Inquisição e de tantas outras investidas contra o que fosse contrário à doutrina cristã; não nos esqueçamos de que os estudiosos de Hitler afirmam que ele era muito religioso; recordemo-nos ainda dos reis cátólicos, que acabaram de erguer sua riqueza em cima da escravidão dos negros e do extermínio de muitos índios), o papa Bento XVI proclamou, em sua saudação de fim de ano à Cúria, ocorrida nesta segunda-feira, que "salvar" a humanidade do comportamento homossexual é tão importante quanto salvar as florestas do desmatamento.
Para o pontífice, o homem deveria "ouvir a linguagem da criação" para entender os papéis de homens e mulheres, e que ignorar essa linguagem seria condenarmo-nos ao nosso próprio fim, à destruição do homem, portanto, da obra de Deus.
O papa defende que a Igreja não é contra a homossexualidade -- ela, em si, não é um pecado, mas os atos sexuais são (cumã?!) -- e, segundo uma reportagem bem nos lembra, " em outubro, uma importante autoridade do Vaticano chamou a homossexualidade de 'desvio, irregularidade, ferida'" (ui! essa doeu! xinga, mas ofende não, hein!)
Ele também defendeu o direito da Igreja de "falar sobre a natureza humana como homem e mulher, e pedir que esta ordem da criação seja respeitada":
-- (A Igreja) também deve proteger o homem da destruição de si mesmo. Um tipo de ecologia humana é necessária (...) As florestas tropicais merecem nossa proteção. E os homens, como criaturas, não merecem nada menos do que isto.
Concordo que a Igreja tenha direito de se opor à homossexualidade e defender o trabalho de Deus. Concordo mesmo. Ademais, o que seria do lilás se todos gostassem do vermelho, né? Não acho que ninguém tem de aceitar a homossexualidade. Não acho que ninguém tem de aceitar nada -- tem é de respeitar, isso sim! O mesmo respeito que se pede à "ordem da criação" também peço eu: respeitem a MINHA natureza!
O mundo não precisa ser gay -- até porque, se fosse, só seria possível a reprodução in vitro, e a humanidade diminuiria drasticamente em número de indivíduos, fadando-nos ao fim em pouco tempo. Mas daí partir de que a não-procriação é uma ameaça à existência do homem, isso já é demais, de uma ignorância abissal!
No fundo, a questão aqui não é procriação; isso é uma questão moral. E se é moral, então, pra mim, não tem tem valia, pois subjetivo.
Quer se opor? Oponha-se. Vossa Santidade está em seu direito!
Só acho que vocês têm muito telhado de vidro pra ficar atirando pedra nos outros (lê-se, além de todos os crimes que citei, os vários casos de padres que molestam crianças).
Se nessa hora, antes de sair por aí metendo "a moral e os bons costumes" por nossa goela abaixo, eles se lembrassem um pouco do que aconteceu -- e tem acontecido -- dentro da Igreja, debaixo de suas vestes, e muitas vezes com sua anuência (como foi a escravidão, por exemplo), eles se calariam.
¿Por qué no te callas?
Ou ainda vais a ver um par de sapatos voar-te pela cabeça.
Vai que acertam, dessa vez!
Fontes: Abril Nótícia/O Globo/G1

21 dezembro 2008

Baita apreço!


Só porque eu tenho por ela um apreço imenso
Ela me esnoba, me esnoba, me esnoba


Ô... e bota "apreço" nisso! (Hehehehe!)
Tudo bem: a música é mesmo uma gracinha...
(E a Lan-Lan é uma sortuda do car...o!)
Não conhecem o "clipe oficial" da música?
Assistam! É divertido:
Imagem: site Paparazzo

20 dezembro 2008

De gregos e troianos


Nada como andar pela minha amada Augusta.
Foi lá que me deparei com meu amigo Clei, na noite de ontem, que me disse algo que me deixou bem feliz -- além do fato de vê-lo:
-- Poxa! Eu estava descendo a rua e justamente lembrando como era fácil topar com você por aqui, subindo ou descendo essa Augusta!
Hahahaha! Justamente!
Sexta à noite é fácil me encontrar: é por ali mesmo!

Desta vez eu estava subindo destinada a descolar, com meu amigo Edu, uma mesa no disputadíssimo Athenas (esquina da Augusta com a Antonio Carlos).
Por não morar mais na cidade em 2007, desconhecia que este bar/café/restaurante abriu ainda no ano passado, mas "pegou mesmo" esse ano.
Comi um moussaká delicioso e tomei um Mojito tudo-de-bom! Indico, indico, indico!
O espaço é uma delicinha (próxima vez, juro que pago o mico de levar minha digital pra fotografar aquele bar! -- e não vai demorar muito pra eu voltar lá!).

E haja paciência pra entrar (fila e espera de 15 minutos a meia hora!). Mas vale a pena!
Força no pancake -- não o deixe derretar enquanto você sua parada na porta, aguardando finamente sua vez: tenha fé que, uma hora, você vai entrar!
(só pra esclarecer: dizer que "UMA HORA você vai entrar" não é só "força de expressão" não, tá, linda?)
Mas aí você entra, se senta, curte um bar descolado, com preços honestos, gente bonita... Pronto! Já vai ter até se esquecido de que demorou pra entrar.
E, quando sair, já estará com vontade de retornar de uma próxima vez!
Te encontro lá, então!


Athenas Café e Restaurante
R. Augusta, 1.449 -- Consolação
Sao Paulo, SP
Tel.: (11) 3262-1945

19 dezembro 2008

Em 2009, ouça mais os ingleses!



Beatles, Blur, Coldplay, Culture Club, Cure, Dire Straits, Duran Duran, Genesis, Jamiroquai, Led Zeppelin, New Order, Pet Shop Boys, Pink Floyd, Police, Queen, Rolling Stones, Simple Mind, Smiths, Supergrass, Supertramp, Tears for Fears, Yes.
Todas elas, e mais várias outras bandas inglesas, já mostraram a que vieram!
Em tempos de idolatria à “diva americana” –- sim, isso é uma crítica, o que não significa que eu nunca tenha ouvido/curtido Madonna (já admiti que sim, tendo inclusive ido a seu PRIMEIRO show no Brasil, há 15 anos), mas que a minha maturidade me permite discernir que isso foi algo da juventude, e assistir ao endeusamento de uma cantora pop americana me soa absurdo! –- permito-me conhecer bandas novas, ouvir coisas diferentes.

É comum que eu me apaixone por UM específico CD de uma banda (exemplo típico é Mezmerize dos americanos SOAD, que sei cantar de ponta a ponta), o que só é possível porque empresto meu ouvido e minha sensibilidade ao novo (não importa qual novo ou de onde venha –- sou pega pelo RITMO; e se o ritmo for bom, pode ser “música gospel”: eu VOU sentir vontade de ouvir mais de uma vez) -- e, pra ajudar, tenho uma memória musical privilegiada! As bandas inglesas são campeãs em fazer isso comigo –- they catch me!
É este o caso de “Teddy Picker” dos Arctic Monkeys (acima).
Só quem ouve entende por que é tão fácil gostar.
Sim, é uma molecada (sei lá! eles têm uns 20 anos, acho), mas o som dos garotos é bom (ao menos este é!).

A letra é boa, veio a calhar e tem servido de “trilha sonora” para algumas de minhas tomadas de decisão para 2009 (processo já iniciado em meados de 2008; algo como “Porra! Quer saber? Tô de saco cheio disso!” -– e às vezes precisamos nos dar esses momentos).
Estou falando de que sempre soubemos que não se deve jogar a água do banho junto com a criança, certo?, o que nos faz tomar o cuidado de tirar a criança primeiro.
Porém, uma vez retirada a criança, acabamos por deixar a água por ali mesmo (afinal, o principal já foi feito: salvamos a criança. E a água “parece não estar mesmo incomodando”).
Mas, quer saber? Incomoda, sim (They've sped up to the point where they provoke): livre-se dela, e comece um novo ano bem mais leve! Se não faz diferença, está fazendo o que ali, então?

18 dezembro 2008

Desafio literário


Recebi de minha amiga Andarilha Estelar (beijos, querida!) um "desafio literário".
Consiste no seguinte:

1. Agarrar o livro mais próximo.
2. Abrir na página 161.
3. Procurar a 5ª frase completa -- não escolher a melhor frase nem o melhor livro!!! Utilizar mesmo o livro que estiver mais próximo.
4. Colocar a frase no blog.
5. Passar a 5 pessoas.
Então, vamos lá:
-- O espírito empreendedor se consegue a muito custo, não cai do céu, de graça.
Quem diz essa frase é Razumíkhin, personagem de um clássico que todos deveriam ler: Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski.
E essa é a quinta frase completa à página 161 dessa minha edição, publicada pela Editora 34.
Agora tenho de pensar quais blogs desafiar -- mas deixarei isso pro ano que vem.

Imagem: Abhinav Jain

17 dezembro 2008

Há quatro anos...


Ich liebe dich

Ich liebe dich, ich treibe Kinderpossen
Du lächelst nur, was dir so reizend lässt
Ist denn das Märchenreich, das uns umschlossen
Der Kindheit letzter, wunderbarer Rest?

Theodor Storm
Não sei se há 4 anos, quando a conheci, fazia uma lua tão clara...
Mas era linda a noite, de qualquer forma.
Não fosse, tornara-se!
Quatro anos -- e, assim que a vi, eu soube!
Hoje, exatamente hoje, exatamente nesse horário.
A lua se alinhou a Vênus
E, no fim de 4 horas de conversa, eu soube que ela nasceu pra mim!
Mulher:
Te amo muito!
Desde aquela noite, hoje und so weiter...

16 dezembro 2008

Hedonismo babilônico



Baby, I'm so alone
Vamos pra Babylon!
Viver a pão-de-ló e Möet Chandon
Vamos pra Babylon!
Vamos pra Babylon!...
Gozar sem se preocupar com o amanhã
Vamos pra Babylon!
Baby! Baby! Babylon!...
Comprar o que houver
Au revoir, ralé
Finesse, s'il vous plait
Mon Dieu, je t'aime glamour
Manhattan by night
Passear de iate
Nos mares do Pacífico Sul...
Baby, I'm alive like a Rolling Stone
Vamos pra Babylon!
Vida é um souvenir made in Hong Kong
Vamos pra Babylon!
Vamos pra Babylon!...
Vem ser feliz ao lado deste bon vivant
Vamos pra Babylon!
Baby! Baby! Babylon!...
De tudo provar
Champagne, caviar,
Scotch, escargot, Rayban
Bye-bye, miserê
Kaya now to me
O céu seja aqui
Minha religião é o prazer...
Não tenho dinheiro pra pagar a minha yoga
Não tenho dinheiro pra bancar a minha droga
Eu não tenho renda pra descolar a merenda
Cansei de ser duro, vou botar minh'alma à venda!
Eu não tenho grana pra sair com o meu broto
Eu não compro roupa, por isso que eu ando roto
Nada vem de graça, nem o pão, nem a cachaça
Quero ser o caçador, ando cansado de ser caça...


("Babylon" -- Zeca Baleiro / imagem: Raphael Lacoste)

15 dezembro 2008

O que é bonito é pra ser visto


"Belo é termo de conceituação subjetiva, moral e ética (aquilo que agradaria aos sentidos da maioria de uma era); é função do tempo, espaço, cultura, raça, economia, política e, principalmente, da ação da mídia"

02 dezembro 2008

... e cada vez mais bela!


Ao tomar café hoje pela manhã n'O Estadão, olhei pra ela e pensei:
-- Como você muda, meu bem! E está cada vez mais bela!
De passagem, a negócios, ando ainda a descortinar as "n" alterações que Sampa sofreu nesse meu um ano e meio de ausência.
Sempre na correria, minhas visitas fizeram pouco por perceber tudo que havia trocado de lugar -- sai isso, entra aquilo --, de modo que ainda me pego tentando me lembrar "o que era ali mesmo?!"
São Paulo sempre me surpreende...!


Imagem capt[ur]ada do blog FotoGarrafa