03 janeiro 2009

"... no frio da noite nos campos de Piratininga, nosso cobertor era o fogo..."


De volta à maior cidade da América Latina!
Minha Sampa!
Sampa do meu coração!
Essa cidade é mesmo linda!
Depois de um ano e meio fora daqui, estou de volta!
Sem coração -- mas estou de volta.
Meu coração ficou -- e VAI CONTINUAR -- na Cidade Maravilhosa.
"Palavra é que o coração não pensa" (Renato Russo)
Sim, continuo CASADÍSSIMA e APAIXONADÉRRIMA!
A separação é temporária e apenas física.
Quando duas pessoas maduras e independentes se unem, dá nisso: sabem que a felicidade é um composto que abrange vários aspectos, inclusive as conquistas pessoais, a satisfação profissional.
Por isso os "100% passionais" me enlouquecem! Colocam a emoção acima da razão e acham que "amar justifica tudo e o amor basta por si só", esquecendo-se de que somos, sobretudo, INDIVÍDUOS. Achar esse fifty-fifty razão/emoção é muito difícil.
E porque encontrei alguém assim é que me apaixonei (à primeira vista, de verdade!) e me casei; e porque conheci alguém assim é que tenho a segurança de voltar a São Paulo pra dar continuidade à minha carreira profissional, que já estava mesmo fundamentada aqui (não adianta: São Paulo, na minha área, é mesmo onde tudo acontece!).
Foi profissionalmente bom e emocionalmente ótimo ter passado essa temporada no Rio.
E se agora é preciso que haja essa separação, saibam que as bases foram cuidadosamente sedimentadas ao longo desses quase dois anos, o que nos dá FORÇAS para vivermos essa fase.
Vai ser duro...
De volta à matriz!
Sampa mia!
Foi fechada a "sucursal Rio" (risos).
Agora, os relatos voltam a ser in loco.
Sentirei saudades das amigas que fiz no Rio -- muy queridas!
E não se preocupem, amigas cariocas que deixei nessa cidade: como continuarei indo ao Rio mensalmente, ainda haverá por aqui MUITAS DICAS fluminenses.
E ainda poderemos nos sentar para tomar aquele chopp à beira-mar.
Enfim, voltei a Sampa.
E assim como Scarlett tirava forças da terra vermelha de Tara, sou plenamente cônscia de que é o concentro cinza que ergueu essa cidade -- a maior e melhor cidade do país -- que me leva!
E que assim seja!
São Paulo de Piratininga:
te tenho de volta e você me tem!
Que o lema de teu brasão me conduza!
P.S.:
Non dvcor dvco ("Não sou conduzido, conduzo") é a frase em latim que se lê no brasão da cidade de São Paulo. Nada mais apropriado!

02 janeiro 2009

Cerveja, cigarras e sossego


O que se faz no primeiro dia do ano?
CELEBRA-SE, claro!
Difícil foi achar um boteco legal aberto.
Saímos ontem com um casal de amigos do Flamengo dispostos a encontrar algo, e felizmente encontramos: a Adega da Praça!
Localizada em frente à Praça São Salvador, o boteco é, como dizem os cariocas, um "pé sujo" dos melhores: cerveja gelada, preço justo, iguarias de boteco muito boas (experimentem os pastéis).
Aproveitem o calor que tem feito e apreciem a cerveja gelada no sossego da praça num fim de tarde, quando então ainda ganharão de brinde uma "sinfonia de cigarras" cantando nas árvores que cercam aquele gostoso refúgio.
Adega da Praça
Rua São Salvador, 75
Flamengo - Rio de Janeiro
Tel.: (21) 2558-3285

NOTA DE INDIGNAÇÃO
Quero deixar aqui registrada a dor que sinto quando me deparo com gentinha de mentalidade PROVINCIANA -- seja onde estiver (mas se estiver numa capital, me doi mais ainda, porque acho inadmissível, em pleno século XXI, habitantes da metrópole se permitirem esse tipo de mentalidade CHÃ!), seja qual for sua orientação sexual, não importa.
Pois que eu estava em busca de informações sobre o acima postado Boteco da Praça e acabei me deparando com uma muito justa crítica aos "bares em rede" no Rio de Janeiro, em um determinado blog HT carioca. Concordo com a crítica feita pelo blogueiro, mas junto com ela vem uma nota de que um tal "grupo" (rede de bares) carioca estaria agora investindo em temakerias, vindo o dito comentário com uma desgusting "pausa para o vômito" do ilustríssimo blogueiro . Começando pela nota publicada n'O Globo na coluna Gente Boa, que ilustra a referida postagem naquele blog e relata o mesmo fato acompanhado de um "argh!" do jornalista, e passando pela "pausa para o vômito" do dito blogueiro, que me resta dizer? Que em plena capital, em pleno século XXI, eu seria, por exemplo, obrigada a gostar de "buchada de bode" porque é um "produto nacional"? TENHA A SANTA PACIÊNCIA!
Não gosto de ostras. Olho pra iguaria e me embrulha o estômago. Nem por isso faço "pausa para o vômito" nem sou capaz de descrevê-la assim em meu blog. Tudo bem, é justo: o blog é do cara e ele faz o que dele quiser.
Mas que então me deixe aqui, mesmo que tardiamente, erguer um coro de muitas VAIAS ao colounista de Gente Boa d'O Globo que afirmou que "O Rio periga virar uma cidade cercada de lanchonetes de cones de algas, argh!, os temakis japoneses, por todos os lados". Amigo, na boa: quê que é isso!? Que mentalidade provinciana DA PORRA é essa? Vai pro car...o!
Sei lá... Acho que como eu venho sim, como muito orgulho, da "megalópole cosmopolita", em que nada mais espanta (os punks, os emos, as drags, as kebaberias, os bistrôs e, SIM, as temakerias, entre tantos outras manifestações do novo, do mundo e da diversidade), esse tipo de comentário IMBECIL desse jornalista BOÇAL me irrita de tal maneira que é melhor eu parar aqui.

01 janeiro 2009

Foi um ÓTIMO réveillon


Foi um réveillon maravilhoso, cercado de amigas e do meu amor, num lugar muito legal -- e, acima de tudo, seguro.
Saca a bandeira (hehehehe), bem ali, acima de nossas cabeças, em plena areia da praia de Copacabana (aliás, quem quiser essa dica para próximo réveillon, fale comigo que eu passo os contatos da "Barraca da Fau", em frente ao Copacabana Palace; eu indico [dica de minha muy cara amiga Dida Didi Carioca Praiana Andarilha Estelar -- hehehe]).
Por ora, é o que basta: as lembranças de uma deliciosa noite.
E um lindo 2009 para todas nós!