27 junho 2009

Quem ama, cuida


E por falar em "natural processo do envelhecimento pelo qual todos temos de passar" (vide postagem de ontem sobre a morte de Michael Jackson), lembrei-me que há tempos estou pra falar sobre este assunto.
Começo apresentando-lhes Carey Leto, 95, e Venera Magazzu, 97 (fotografadas em 2004 por Jim Cox), 70 anos de união.
Setenta anos! É tempo pra caramba! É uma vida...
Fico feliz que elas tenham uma velhice aparentemente linda e bem, mas sabemos que nem todos nós teremos esta sorte.
Muitos gays -- e algumas lés também -- vivem um pouco essa "síndrome de Peter Pan", não em sua totalidade ("Não quero crescer!"), mas estritamente ligado a um aspecto: "Não quero envelhecer!".
Homens gays e mulheres parecem mais propensos a desenvolvê-la...
Hoje, há botox, plástica, lipo e vários outros recursos que podem garantir uma aparência bela e jovem a qualquer "sessentão" ou "cinquentona".
Porém, não é sobre isso que este post quer "falar", mas sim sobre SEGURANÇA.
Quem ama cuida -- e este é um dos ditados mais velhos que conheço --, de modo que pergunto a você, que é casada, se acaso vocês duas já tomaram algum tipo de providência para que tenham uma velhice tranquila.
Sim, me refiro a poupança, previdência privada, seguro pessoal... E toco neste assunto porque percebo nós, homossexuais, meio "desligados" desse quesito...
Os hetéros querem garantir que, se algo lhes acontecer, seus filhos e sua esposa ficarão bem!
Os gays e lésbicas parecem acreditar que nada vai lhes acontecer nunca (olha lá a síndrome de Peter Pan se manifestando...).
Faz tempo que estou pra tocar neste assunto, e agora parece que veio a calhar.
Nós lésbicas e gays temos poucos direitos garantidos no que se refere a "casamento" (entre muitas aspas).
À exceção daqueles que assinam um contrato de União Civil Estável, todos nós estamos "descobertos" e sem garatia alguma de que dinheiro, bens, pensão etc. irão para as mãos de nossas(os) companheiras(os) (quantos de nós já ouvimos casos assim, de que foi só João morrer para que a família dele "baixasse" no apê em que ele vivia há ANOS com José e "fizesse a limpa", requisitando para si o maior dos direitos -- o dos pais --, e deixando o outro na penúria!).
Assim, minhas queridas e meus queridos: se você está casado há muito tempo, ama e se preocupa com quem ama, tome algumas providências...
Com relação a poupança e/ou previdência privada etc., disso independe o contrato de União Civil Estável -- é só mesmo uma "segurança extra" de que depois que ambas(os) pararem de trabalhar e começarem a viver de aposentadoria poderão manter o mesmo padrão de vida.
Todo ser humano (gay ou HT) deveria pensar nisso...
Afinal, não seremos jovens para sempre!
Pensem nisso!
Beijos da SampaVelox
36 anos, e preocupada com essas questões desde os 30